segunda-feira, agosto 25


É na pele que te leio os sonhos que só o mar guardava
(Percorro em cada poro viagens inventadas nos teus olhos)

É na tua pele que, cansados, repouso os meus dedos de tantos versos
(Numa pausa de paixões e de loucuras)

É na tua pele que, sedentos, pouso os meus lábios
(Para beber pedaços dos teus rios que correm sem parar)

É na tua pele que vivo e com ela me quero cobrir…


http://manhasdeinverno.blogspot.com/

Um comentário:

Cris disse...

Ah, o amor: esse bandido! Que vem, que chega e fica. E se vai, quando vai, deixa as marcas, os cheiros e a saudade. Muito lindo, o seu blog.

Quem sou eu

Minha foto
...sou uma mulher como todas do planeta, que merece amar e ser amada.

Arquivo do blog