segunda-feira, outubro 27


"...o sol tão claro lá fora,
o sol tão claro, Esmeralda,
e em minhalma — anoitecendo."


manuel bandeira

Um comentário:

Lampejos disse...

Silvana,

Aí está... O poema
Use-o como quiser :)
......................

Sei que morrerei

neste deserto de amor

mesmo que não queira
igualmente morrerei

Não haverá palmeiras e nem oásis
para acalmar esta sede

apenas o amargo tremor
a lua e os meus olhos.
O amor é mortal
mas ele renasce a cada esquecimento

O peso da água
é o peso do meu amor.

..............



[obrigada pela visita]

Receba meu carinho e admiração!...


(a)braços,flores,girassóis :)

Quem sou eu

Minha foto
...sou uma mulher como todas do planeta, que merece amar e ser amada.

Arquivo do blog